Os ingleses do PSDB; os uruguaios do PT

bazarQuando li que Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobrás, afirmou em delação premiada que o governo FHC recebeu propina de US$ 100 milhões na compra da empresa argentina Pérez Companc, pensei: tenho que escrever algo sobre isso. Então, refleti sobre algo que me enviaram via Twitter e que tem me bloqueado por um tempo. Dia desses, quando fiz um post sobre política, um de meus ‘followers’ disse-me que era melhor eu me ater apenas ao futebol. “Disso tu entende. De política, não“. Ok, pode até ter um fundo de verdade. Nem tenho a pretensão de me transformar em um comentarista político. Por isso, resolvi fazer uma analogia futebolística para tratar deste tema que me interessa tanto.

Quando os uruguaios foram disputar os Jogos Olímpicos de 1924, em Paris, foram subjulgados pelos países europeus participantes. Pensavam que, por chegarem da longínqua América do Sul (e até mesmo com negros no elenco), eram inferiores ao futebol praticado no Velho Continente. Assim, quietinhos, os uruguaios surpreenderam os rivais e levaram a medalha de ouro. Repetiram a dose em 1928, em Amsterdã. O fato causou uma estranheza entre os suíços, suecos, espanhóis, italianos. Como podiam aqueles pobres homens superá-los no esporte em que eles praticavam há tanto tempo?! Os ingleses, num ato de total arrogância, sequer participavam de competições com outros países. Por terem inventado as regras do esporte, viam-se acima de todos outros opositores. Até mesmo daqueles tais uruguaios! Por isso, quando a FIFA indicou o pequeno país sul-americano para sediar a primeira Copa do Mundo de Futebol em 1930, a seleção inglesa fez-se ausente. Pouco importava quem eram eles! “O verdadeiro futebol era praticado em Londres“, devem ter pensado os nobres súditos do Rei Jorge V.

Pois deparei-me com uma filosofia íntima nesta segunda-feira: seja na política ou no futebol, deve doer ver um rival superando-o dentro daquilo que foi inventado por você. Se este rival consegue aprimorar a prática e se beneficiar dela ainda mais do que você conseguiu, dói mais ainda. Trazendo o assunto para a política, imagino o que se passa pela cabeça de muitos tucanos. Não, não foi o PT que inventou a corrupção no Brasil – como sugerem alguns. O pecado cometido pelo governo petista (de Lula e Dilma Rousseff) é justamente dar sequência à política de propinas envolvendo a Petrobrás e ‘até aprimorá-la’. Pelas acusações de Cerveró, as práticas ilícitas já estavam lá no governo do PSDB, de Fernando Henrique Cardoso. E quem duvida que não veio de antes ainda? É até meio óbvio. Não diminui o pecado petista, mas principalmente não exclui quem adora lhe apontar o dedo. Ou você ainda acha que ter eleito Aécio Neves, do PSDB, seria a solução para o fim dos corruptos no Brasil?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s